Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêem a cabeça.

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêem a cabeça.

02
Jun17

Sobre o dia da criança

Ana

Sendo dia das crianças, e como ela já está em muita boa idade de perceber coisas importantes, resolvi explicar-lhe o que é o dia das crianças.

Para além de lhe dar o presente que ela ansiava [sim, não consegui resistir a esse consumismo desenfreado, nem tanto pelo marketing, mas porque ela andava ansiosa à espera do dia para receber um brinquedo] também tivemos uma conversa interessante.

Quando lhe expliquei que este dia era sobre TODAS AS CRIANÇAS DO MUNDO, comecei por lhe perguntar o que ela achava que todas as crianças deveriam ter. Resposta: “brinquedos”. Lá lhe expliquei que nem todas as crianças têm brinquedos, e que isso não era fundamental. O que é fundamental sim é que todas as crianças brinquem. “É possível brincar sem brinquedos?”, perguntei eu. Resposta “Não” [para vermos como o “plástico” está implícito já na vida destes miúdos]. Então, lá fizemos um exercício de todas as brincadeiras que ela brinca, sem ter acesso a brinquedos. Percebeu e concordou.

Depois pedi-lhe que me dissesse mais coisas que ela achasse que as crianças deveriam todas ter: miminhos, sol, ar, comida. Foram as respostas que foram surgindo e sobre as quais nós fomos conversando.

A conversa teve vários momentos muito interessantes. Isto deixa-me sempre numa ambiguidade muito grande, porque se por um lado acho importante que ela perceba “o mundo real”, quando lhe explico que há crianças que são privadas desses direitos, fico sempre na dúvida se devo ou não passar-lhe essa informação. Porque é uma informação má. Que dói. Enfim.

É certo que lhe compro coisas. Que lhe dou mais do que ela precisa. Mas é fantástico ver a felicidade dela sempre que tal acontece. Ela pede muito. E ouve também muitos nãos. E isto é um exercício constante.

Foi por isso que achei importante ter esta conversa com ela. Para que ela entende que há coisas pelas quais ela, enquanto criança, deverá sempre lutar. Para ela, e para os outros.

 

4 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Arquivo

      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D