Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Um dia, na tua vida

por Cá coisas minhas, em 23.02.17

"Foi para mim um dia memorável, pois exerceu sobre mim grandes mudanças. Mas o mesmo sucede em qualquer vida. Imagine eliminar-lhe um determinado dia e pense no quão diferente o seu curso teria sido. Detenha-se, você que lê isto, e pense por um longo momento nas longas cadeias de ferro ou ouro, de espinhos ou flores, que jamais o teriam aprisionado, não fosse a formação do seu primeiro elo nesse dia memorável"

Charles Dickens, Grandes Esperanças

 

Quando li estas palavras pensei: pois, realmente é verdade. Somo nós que fazemos o nosso percurso, portanto é óbvio que são esses momentos que vivemos que fazem o que somos hoje.

Normalmente, a maioria de nós já fez esse exercício n vezes. No entanto, também acho que o fazemos mais pela negativa. Ou seja, momentos que olhamos agora e pensamos, devia ter ido antes pelo outro lado, optado antes por aquela opção, escolhido antes aquela pessoa, não ter dito aquelas palavras, etc... etc…

Consigo identificar alguns momentos marcantes da minha vida, em que tive oportunidade de fazer algo que eu realmente queria muito, mas não fiz. Consigo também identificar fases da minha vida em que optei por viver de uma forma, e em que vejo hoje claramente que devia ter optado por outra. Também já disse muita coisa, que algum tempo depois me arrependi de ter dito.

Mas e o contrário? Raramente pensamos nisso. Ou seja, naqueles momentos em que fizemos exactamente aquilo que continuamos a achar que foi o certo. De facto, é uma tortura, pensarmos que se esse momento não tivesse existido, não tínhamos estas "coisas magníficas" que hoje consideramos que alcançamos.

Porém, talvez este exercício seja uma forma de valorizarmos aquilo de bom que conseguimos, em vez de estarmos sempre a pensar naquilo que poderíamos ter sido, tido ou feito, por “más opções que consideramos ter no passado”

Bem sei que há muita gente que diz “eu só me arrependo daquilo que não fiz”. Ou, “não me interessa aquilo que já passou, mas aquilo que sou hoje”. Não proponho uma reflexão sobre os passado de cada um. Apenas sugiro (a mim própria, acima de tudo) um exercício positivo sobre a vida que se tem hoje.

[Até porque sinceramente, estou tão cansada das advservidades, que tenho que começar a ignorar que elas surgem. Fartinha, fartinha.]

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  

  • Blogs de Portugal