Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêm a cabeça.

A aldeia onde eu vivo #01

11.10.16 | Ana

A aldeia onde eu vivo, só tem um café. Não tem mercearia, nem cabeleireiro, nem papelaria.

 

Mas na aldeia onde eu vivo consigo ver o sol a nascer. Consigo ver o sol a pôr-se.

 

Na aldeia onde eu vivo há animais. Há estendais de roupa cheios, todo o dia. Senhoras a sacudirem tapetes.

Não há prédios. Há casas baixinhas. Há espaço.

 

Há pessoas. Há caras com nomes, com casas.

 

Na aldeia onde eu vivo, a miúda pode brincar ao macaquinho do chinês, pode regar as plantas e passear com “as filhas” no quintal. Pode brincar ao elástico, ao rei manda e fazer bolinhas de sabão.

 

A aldeia onde eu vivo é pequenina. É perto, mas longe o suficiente. É grande, na felicidade que nos pode proporcionar.

 

 

Aqui estou eu de novo

10.10.16 | Ana

Voltei. Estive uns tempos ausentes, no meio da confusão que significa mudar de casa. Pelo meio, muitas peripécias, mas acima de tudo um cansaço que vai agora aos poucos saindo do corpo. Mudamos de casa. Mudamos de vida. A mudança é sempre para mim angustiante. Mesmo sendo um acto pensado, decidido e sentido como fundamental para o nosso bem estar. Os primeiros tempos são mais difíceis.

Um reinício, certamente. Pois que venha tudo o que de bom estiver para vir.

 

Pág. 2/2