Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêm a cabeça.

Estes dias...

29.07.21 | Ana

Continuamos fortes e poderosas no isolamento profilático por aqui.

Conciliar trabalho e brincadeiras com criança de 2 anos? Oh, um sonho.

Estou especialista no veste e despe de bonecas, atirar bolas, fazer puzzles, torres de todas as espécies. Também estou a ganhar cada vez mais experiência em lidar com menininhas fofíssimas frustradas e furiosas quando a coisa corre menos mal.

Mas no que eu estou a ficar mesmo expert é: FAZER TUDO AO MESMO TEMPO E FICAR TONTA DE EXAUSTÃO.

Portanto, está a ser ótimo. Juro.

 

Fiz a licenciatura com a primeira filha. Com esta estava no mestrado, mas o estudo está a ser tão intensivo, que me passaram diretamente para aluna de doutoramento.

A minha rotina matinal

28.07.21 | Ana

Ai as manhãs, as manhãs.

Não tenho feito exercício, mas deixei de me estar sempre a castigar sobre isso. A vontade de praticar exercício físico foi-se embora, mas um dia com certeza vai voltar.

Contudo, tenho que me levantar cedo na mesma, senão as manhãs são uma verdadeira confusão.

Para além das coisas que eu faço todas as manhãs antes de sair de casa (podem ler sobre isso em outro post) , há ACIMA DE TUDO a minha rotina matinal que é fundamental para que eu me sinta bem.

O despertador toca as 06h30 e a minha rotina matinal deve incluir sempre:

  • Ligar o difusor com um óleo essencial à escolha - fica ligado enquanto estamos por casa. [Tenho que vos contar sobre isto, mas fica para um outro post]
  • Tomar banho e hidratar o corpo.
  • Lavar os dentes.
  • Skincare composta por creme de contorno dos olhos, creme hidradante de rosto e às vezes protetor solar. Na maior parte das vezes, maquilhagem básica - base, sombra de olhos, iluminador, blush e máscara de pestanas. [Querem saber os produtos que estou a utilizar? Se sim, posso fazer um post com isso].
  • Tomar o pequeno almoço e beber um café.

É PERFEITO quando consigo fazer isto antes de elas acordarem. Dá-me imensa paz e a certeza que terei uma saída de casa tranquila.

Quando o faço ao mesmo tempo que trato delas, fica bem mais confuso, mas tento fazer tudo na mesma.

Não quero estar a agoirar mas....

27.07.21 | Ana

Finais de Fevereiro de 2020.

Em casa de baixa com a miúda mais pequena, porque estava doente. 

O que aconteceu pouco tempo depois?

Confinamento. 

Março de 2021.

Isolamento profilatico de miúda mais nova por suspeita de Covid. Graça a Deus ficou só pela suspeita. 

O que aconteceu logo a seguir? 

Confinamento. 

Julho de 2021.

Isolamento profilatico de miúda mais pequena, por contacto direto com infectado (auxiliar da sala). 

 O que vai acontecer a seguir? 

Não sei.

Mas pelos menos a mim resta-me ainda uma looongaaaa semana pela frente. 

Teletrabalho e miúda de 2 anos em casa. 

Bom, pelo menos, está super engraçada e todos os dias há uma novidade. 

Bebé furacão doce. 

IMG_20210726_161201.jpg

A mais velha continua com os avós pois foi o que nos pareceu mais seguro. Mas tenho tantas saudades, tantas, tantas.

Coisas a fazer ao final do dia

24.07.21 | Ana

Olá olá. 

Alguém por aí? 

A criança mais pequena continua com muita tosse e assim na eminência da birra o dia todo. 

Então, no outro dia contei-vos as 8 coisas que eu faço todas as manhãs. Podem ler aqui

Pois hoje trago-vos as 8 coisas que eu faço todos os finais de dia.

1. Tirar a roupa da máquina (caso tenha ficado a lavar) e colocar na divisão cá de fora para ficar pronta a estender de manhã.

2. Apanhar a roupa (caso tenha ficado estendida): separar o que é para engomar e dobrar e arrumar logo a restante.

3. Tirar a loiça da máquina e encher novamente após o jantar.

4. Preparar marmita para o dia seguinte: o que é no frigorífico, no frigorífico e o restante num cantinho da bancada da cozinha (incluindo já talheres).

5. Limpar a areia dos gatos.

6. Alimentar gatos e cães e encher o recipiente da água.

7. Separar roupa e deixar máquina de roupa já cheia (de manhã é só pôr o detergente e programar).

8. Deixar sempre a cozinha arrumada, preferencialmente ainda antes da Marta ir dormir.

 

A ordem é obviamente aleatória.

E às vezes uma ou outra ficam por fazer. A ideia inclusive é despachar tudo até as 21h30. Por isso, quando não o consigo fazer, paciência. 21h30 já é hora de descanso. 

Contudo, mais uma vez, é ótimo quando tudo corre bem.

Existem outras coisas que eu tento também fazer mas ainda não consegui estabelecer rotina das mesmas.

  • Retirar do congelador aquilo que será o jantar do dia seguinte - na maior parte das vezes esqueço-me.
  • Passar a mopa no chão todo pelo menos 2 vezes por semana.
  • Limpar bancada de WC sempre que começa a encher de coisas que devem estar nas gavetas - vou fazendo conforme o tempo e elas vão aparecendo. 
  • Garantir que os brinquedos das miúdas não ficam espalhados pela casa - tento quase sempre que elas arrumem tudo antes de se irem deitar.

 

Mais uma virose

22.07.21 | Ana

Estava eu tão contentinha por estar em trabalho presencial e com tudo organizadinho e afinal...

Ontem as 15h30 recebi um telefonema de creche. Febre.

Lá fui eu para as urgências, visto que ela já anda com tosse desde o fim de semana e muita ranhoca.

Conclusão: mais uma virose.

E mais um dia (pelo menos) de teletrabalho com uma criança de 2 anos agitada doente.

Acreditem: mistura explosiva.

Coisas a fazer pela manhã

21.07.21 | Ana

Olá, como estão?

Esta semana regressei ao trabalho presencial o que faz com que a rotina lá de casa seja obrigatoriamente diferente.

Então, para que a casa não esteja um caos quando eu chegar, há 8 coisas que eu tenho que fazer obrigatoriamente todas as manhãs.

1. Colocar comida e água na tigela dos gatos.

2. Dar a ração matinal aos cães e encher a taça com água.

3. Estender roupa (caso tenha lavado no dia anterior).

4. Limpar a caixa de areia dos gatos.

5. Abrir a janela dos quartos (para deixar aberta enquanto ainda estamos em casa).

6. Fazer as camas.

7. Programar a máquina de lavar roupa para lavar até ao final da tarde.

8. Pôr a máquina de lavar loiça a lavar.

A ordem é aleatória.

 

Às vezes não dá e é uma chatice. Mas também ninguém morre por causa disso.

Contudo, prefiro que assim seja.

E vocês, têm alguma dica que queiram partilhar. 

Eu, mãe

20.07.21 | Ana

Acho que tenho exigido muito da mais velha.

Desde sempre.

Sinto que quando ela não está, fico mais solta. Mais descontraída.

Porque não tenho que tomar conta dela.

Mas durante estes dias, pus-me a pensar "não serei eu demasiado exigente?"

"Maria, tens que ir tomar banho."

"Maria vai vestir-te."

"Maria despacha-te."

"Maria, mexe-te, temos que sair."

"Maria, vai pentear-te."

"Maria, por favor, ainda não estás calçada."

É isto, todos os dias. De manhã e ao final do dia.

É uma facto que temos hora para tudo, e as crianças têm que aprender estas rotinas. Mas será que eu as imponho muito? Que não respeito o seu ritmo?

Ás vezes faço essa pausa e reflicto. Concluo sempre que devo abrandar um pouco. Mas depois na correria do dia à dia, acabo por voltar ao mesmo.

É um equilíbrio difícil desde que nascem. Incluí-los nas nossas rotinas e nos horários que nós determinamos. Mas ao mesmo tempo, dar espaço à sua forma de ser e estar e deixa-los "apropriarem-se" destes horários que nós decidimos para eles.

Não há uma fórmula certa. E todos os dias "reajustamos".

Era uma vez um congelador...

16.07.21 | Ana

... CONGELADO.

Sim, isso mesmo.

Começou por ficar uma gaveta cheia de gelo sem abrir. E eu a pensar "ok, tenho que resolver isto".

Depois uma segunda gaveta cheia de gelo sem abrir. E eu a pensar "ok, tenho que resolver isto".

Até que? Adivinhem.

A terceira e última gaveta cheia de gelo sem abrir. E eu a pensar "tenho mesmo que tratar disto".

Mas não tratei.

Tenho arca e é lá que estão as coisas importantes.

Ontem, levei a 2ª dose da vacina do COVID.

Precisei de gelo, já que toda a gente diz que é preciso pôr gelo.

E?

A porta do congelador nem sequer abriu.

Pronto.

Agora é que tem mesmo que ser.

Hoje, quando me dirigi à cozinha para tratar do meu almoço pensei "é agora".

Desliguei o frigorifico da tomada.

Fui buscar um secador de cabelo.

Pus umas toalhas no chão.

E ali estive eu.

A descongelar o gelo.

Foi uma tarefa que se foi fazendo durante a tarde, no meio do trabalho.

De vez em quando ligava o secador e derretia mais um pouco.

Quando uma gaveta saía, tirava tudo o que valia a pena para a arca e o resto para o lixo.

A saga começou as 12h.

Acabou eram 17h30.

Estava mesmo muito mau, acreditem.

A última gaveta foi um desespero para a tirar. Tive que recorrer à "força bruta" e foi por um triz que não desloquei um ombro. 

As 21h o gelo que saiu de lá ainda estava em grande bloco no lava louça. Por aí, conseguem ver.

Fiquem com o vídeo síntese.

 

Vacinada

15.07.21 | Ana

Está feito.

Já tomei as duas doses.

Da primeira dose, só tive dor no braço. Mas forte. Durou toda a noite e prolongou-se pelo dia seguinte.

Não tomei nada. Não fiz gelo. Na 3 feira fui levar a segunda dose.

Passado umas 2h muito calor.

Depois do jantar comecei a ficar agoniada.

Resolvi tomar um benuron.

Resultado: a dor do braço tornou-se muito mais suportável.

No dia seguinte de manhã tomei outro.

A dor esteve lá na mesma. Mas bem mais suportável.

Hoje já mal a sinto.

E convosco, como tem sido? 

A miúda mais nova...

14.07.21 | Ana

... cresceu.

E agora também já tem vontades.

Estes dias têm sido, digamos que desafiantes.

Sopa? Não.

Estas meias? Não.

Estes sapatos? Não.

"Não mãe, esta não". Diz ela aos gritos, enquanto eu lhe visto a roupa que é para vestir.

"Marta, vamos". "Não". E estende-se no sofá.

Ontem à noite quando percebeu que eu estava a tratar de tudo para ela ir para a cama, saiu-se com esta "não mãe, o ó ó, ainda não

Quer fazer tudo sozinha. E fica danada quando não consegue. Ás vezes até chora quando percebe que precisa mesmo de ajuda.

E a fala está a surgir em catadupa. Cada dia diz mais palavras e até já começa a dizer algumas frases.

Os 2 anos, são uma doçura sem fim.

Mas também é quando começa a ser necessário definir limites e regras. E é quando ela começa a perceber o que é a frustração. E a gerir a mesma. 

Acho que a correria dos dias não nos deixa vê-los crescer. Este fim de semana, como estava sem a mais velha, dei-lhe mais tempo. Observei-a mais. E percebi uma série de coisas que ainda não tinha visto.

E isso, também me fez olhar para mim. E percebi também uma série de coisas sobre mim enquanto mãe que não tinha ainda "visto". Mas sobre isso, escreverei noutra altura.

 

Pág. 1/2