Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêm a cabeça.

Esta manhã...

12.10.21 | Ana

Tudo pronto para sair de casa e eu olho para o relógio e penso "Olha, muito bem, hoje estamos numa boa hora".

Diz a Maria "Mãe, eu gostava de fazer uns totós, podes fazer-me?"

Respiro fundo (para dentro para não deixar passar stress às crianças) e digo "Ok, a mãe faz".

Enquanto eu estava a fazer os totós à Maria, a Marta nas minhas pernas a dizer que também queria.

Terminei na Maria, e ela foi ao WC ver-se ao espelho.

Fui buscar um totó para a Marta.

A Marta colocou-se exatamente no mesmo sítio onde a irmã estava quando eu a estava a pentear.

Fiz o totó à Marta. 

E para onde foi a Marta?

Para o WC como se estivesse a ver-se ao espelho (ela não chega lá). E a dizer "uauuuu".

E pronto.

Lá saímos de casa, à mesma hora de sempre e em modo acelera.

Sobre o fim de semana.

11.10.21 | Ana

Sábado de arrumações.

Domingo mais de relax.

Foi assim o fim de semana lá por casa.

Limpou-se e organizou-se a casa. Dei mais uma volta as roupas que servem e não servem.

A mais velha foi à praia com o pai e até conseguiram ir à agua.

Passeio na aldeia com a mais nova. O que ela gosta disto. Andar na rua sem dar a mão, ir à frente a explorar o caminho. Chegar-se aos vizinhos para conversar com eles.

Bolo de canela para o lanche de domingo.

Trabalhos de casa.

E uma tentativa que correu muito bem: final de tarde de domingo semelhante à de sábado, para não começarmos logo a sofrer com o fim do fim de semana, quando ele ainda nem acabou.

Acabei o fim de semana como sempre: uma montanha de roupa para passar a ferro.

Não treinei. Tenho andado com muitas dores na cervical, e por isso tive que fazer uma pausa no meu exercício. 

E o vosso? Contem-me tudo.

 

As minhas miúdas

08.10.21 | Ana

IMG_20210925_164823.jpg

Eu nem vos consigo descrever o quanto eu sou feliz por ter estas duas na minha vida.

São tão diferentes uma da outra.

E a experiência de maternidade com ambas é completamente diferente.

A Maria foi a minha primeira filha. Numa fase da minha vida muito instável e onde passámos algumas dificuldades. Mas ela foi sempre a minha salvação. Aquilo que me trazia à tona. Com inexperiência minha, fui aprendendo a lidar com ela. Sempre muito sensível, faladora, com muitas questões sobre tudo, e um carinho enorme pelas pessoas que a rodeiam. É a minha mais velha. O meu primeiro amor pequenino, que agora é grande, enorme.

A Marta chegou há pouco. Mas o tempo tem passado a correr. Mas eu não tenho pressa nenhuma que ela cresça. É independente, traquina, meiga, faladora. Eu sou mais calma e vivo a maternidade com outra leveza.

As duas juntas são o Apocalipse e o fogo de artifício. Ou estão aos gritos uma com a outra a disputar algo ou atenção, ou a rirem às gargalhadas fazendo "tolices" uma à outra, ou agarradas num carinho genuíno, ou ainda simplesmente a brincar.

Amo-as com todo o meu ser e sou uma pessoa melhor a cada dia que passa, apenas por elas existirem na minha vida.

Aqui somos felizes

07.10.21 | Ana

Fez ontem 5 anos que nos mudámos para o campo.

A casa não era do meu agrado.

O sítio também não.

Mas como estávamos já não podíamos continuar e o meu marido acabou por me convencer.

Passamos (os três, mais dois gatos) de um T1 rés-do-chão sem terraços ou varandas para um T2 pequeno, mas com um quintal bem grande.

Passamos a fazer o dobro dos kms para o trabalho, mas a demorar praticamente o mesmo tempo.

Passámos dos subúrbios urbanos, para os subúrbios rurais.

Saímos menos, mas estamos mais tempo na "rua".

Hoje somos quatro, mais dois gatos, mais dois cães.

Somos uma família "normal" a viver no campo.

Sei que este ainda não é "nosso" sítio. Porém, é certamente neste "género" de sítio que queremos viver.

Aqui respiramos melhor. 

Aqui somos felizes.

Aqui vivemos melhor.

Aqui vemos as estações a mudarem. Ouvimos os cães a ladrarem. Os passarinhos a fazerem ninhos. O sol a nascer e o sol a pôr-se.

Vemos a lua bem cheia quando ela está cheia.

Vemos cabras, burros, ovelhas e outros tantos animais.

Vemos hortas e vemos os alimentos a brotarem da terra.

Também sentimos o frio e a chuva. E temos a pele sempre queimada pelo sol.

 

E  eu agradeço todos os dias o privilégio de viver no campo e na aldeia.

[E num instante, chego à cidade e a todos os privilégios que de lá vêem].

 

Começou mesmo o (meu) Outono

05.10.21 | Ana

Arrumei a roupa de verão.

Lavei a roupa de outono.

Comprei umas peças para as miúdas e identifiquei outras em falta.

Voltei ao chá ao final da tarde.

Voltei aos jantares de sopa ao Domingo.

Arrumei as sandálias.

Percebi que preciso de comprar uns sapatos.

Fiquei com vontade de comprar umas decorações mais outonais.

Recuperei a mantinha no sofá.

As meias nos pés.

A vontade de estar mais por casa.

O cheirinho a bolo quente e a vontade de beber café com leite pela manhã.

 

 

Disparates de gente pequena

04.10.21 | Ana

Sábado de manhã.

A terceira máquina de roupa da manhã já estava lavada e dentro da máquina à espera de sair.

No meio dos afazeres domésticos típicos de sábado de manhã, e do barulho de máquinas a funcionar, reparo que a máquina de lavar roupa estava a lavar.

E penso "Então, mas espera. A máquina já tinha terminado."

Fui ver.

Estava mesmo a trabalhar.

A criança mais pequena lá de casa, colocou num programa de 30 minutos, a 50 graus e com centrifugação a 600. E depois carregou no "on". Já ia o programa a meio quando vi.

Quando eu digo que esta miúda dá comigo em maluca, eu não estou a exagerar.

 

[Além disso, este fim de semana voltou à carga dos riscos. Descobriu um caneta de filtro verde e foi tudo num avio: cadeiras, almofadas, móvel, laço do cabelo, mãos, cara. É isto.]

 

Outubro: Outunar

01.10.21 | Ana

É o meu verbo de Outubro.

outonar

o(w)tuˈnar
conjugação
 
verbo transitivo
1.
cavar (as terras) e regá-las com a água das primeiras chuvas do outono
2.
alqueivar
verbo intransitivo
1.
passar o outono
2.
brotar no outono

 

Confesso que apesar de gostar muito do verão e dos dias grandes, o Outono é a minha estação preferida do ano.

As cores, o aconchego do frio ao final do dia, a vontade de fazer bolinhos caseiros para o lanche.

O objetivo será esse: aconchegar/assentar.

Prontos?