Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêm a cabeça.

A aldeia onde eu vivo #02

27.10.16 | Ana

Decidi ir viver para o campo. Longe da confusão. Certo. Uma aldeia pequenina, certo. Que não tem nada. Certo.

Mas perto de tudo. No distrito de Lisboa. A poucos km (8, vá 10 no máximo) de outras cidades, com centros comerciais e lojas, e hipermercados e essas coisas todas.

Portanto, como é que é possível não haver nenhum hipermercado e/ou loja online de entrega em casa, que faça ali entregas??? Como é que isto é possível no ano de 2016??? E não estamos a falar de uma aldeia no interior de Portugal (sendo que nem nesses casos, é admissível que tal coisa continue a acontecer). Estamos a falar dos “arredores de Lisboa”.

Ora não faria mais sentido, ser precisamente nestes sítios, onde as pessoas não conseguem ter acesso a tudo, que estas entregas deveriam existir mais? Será que estes senhores ainda acham que por ali só vivem velhos, que não querem saber destas “modernices”? Ficará assim tão mais cara a deslocação?

Não sei. Por acaso não me posso queixar, porque tenho carro e desloco-me com facilidade. Mas não deixa de ser um serviço que é prático, útil e cómodo, e que gostava de continuar a usufruir.

Enfim. Sou eu que sou esquisita, não é? “Rapariga da cidade que vai viver para o campo, e que está agora armada em “saloia” para uns e “cheia de modernices” para outros”.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.