Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêem a cabeça.

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêem a cabeça.

20
Mar18

Viver em modo robot

Ana

 

Hoje vi este anúncio do MacDonadl's e pensei, é isto mesmo que somos.

Robots.

Vivemos os dias uns atrás dos outros. De modo automático. Planeando, gerindo, definindo dia a dia.

Gostava de fazer melhor. Quebrar a rotina.

Sair desta teia do dia a dia que me sufoca.

Mas não estou sozinha.

Não consigo fazer tudo como quero.

As coisas não correm sempre como idealizo.

 

Tenho dias em que me sinto esgotada da vida.

Imersa num conjunto de coisas que vou fazendo.

Dias que vou vivendo, uns atrás dos outros.

Chateada com o percurso que fiz.

Feliz pelo lugar onde estou.

Mas revoltada com o que ficou para trás.

Sinto que podia mais, e não fiz.

Sinto que devia fazer de outra maneira, mas não faço.

Esgotada.

Tonta.

Nauseada.

Em modo robot.

Oiço os outros. Vejo os outros. E penso: é mentira. Vivem uma realidade que não pode ser verdade.

 

Penso nestas tretas todas, quando estou no carro. Sozinha. Nos meus percursos.

Depois, chego ao trabalho e trabalho. Já não tenho tempo para pensar.

Chego à miúda e vivo a miúda. Já não tenho tempo para pensar

Chego a casa e vivo as rotinas todas do final do dia. Umas atrás das outras. Já não tenho tempo para pensar.

É depois de a deitar, que tudo volta à mente.

Mas não quero pensar. Como não pensar? Entretendo a mente. 

E os dias passam.

De forma mecânica.

 

E está tudo igual.

 

01
Mar18

Um elogio aqui da antipática

Ana

Resultado de imagem para cara cerrada

Entro no elevador. Cara cerrada.

Venho chateada. Com o tempo. Com o trânsito.

Venho com sono. Sem energia.

Elevador para piso a piso.

Paciência, zero.

Cabeça está longe dali.

Numa das paragens entra um senhor. Trabalhador externo que terá vindo aqui fazer qualquer coisa.

Sai logo no piso a seguir.

Antes de sair dá-me os bons dias com um sorriso super simpático.

E é aí que tomo consciência da minha "cara feia".

E eu penso: Este senhor já está a trabalhar há mais tempo que eu. E "levou" com estas trombas, e ainda assim é tão simpático para mim.

Hoje é dia do elogio.

Um elogio para os senhores que trabalham na manutenção, cedo, e levam com caras de gente mal disposta nos elevadores.

 

01
Fev18

Pensando na vida

Ana

Ontem, antes de adormecer, dei por mim a pensar na vida.

[O que normalmente não é boa ideia, porque "costuma" dar insónias. Desta vez não deu, porque eu devia ter realmente muito sono]

Influenciada certamente, sobre a frase que publiquei ontem sobre o destino.

E influenciada também por algo que li que alguém escreveu num outro blog.

Isto para dizer o quê?

Que, apesar de tal como muita gente, eu dizer "não me arrependo de nada do que fiz", ou "foi o caminho que fiz que me fez chegar aqui" e outras coisas do género, a verdade verdadinha é que há um período na minha vida que eu preferia mesmo não ter vivido. 

Ah, e tal, mas aprendeste com isso?

Sinceramente, não.

Olhando para trás, não vejo a minha pessoa durante aquele período.

Não sei o que andei ali a fazer.

E o que é certo, é que apesar de já terem passado quase 10 anos, continuo a ter presente em mim aquelas "coisas".

"Não era eu, que ali estava". É assim que me defendo.

Mas o que é certo é que estive. E a conclusão que eu chego sempre é: "Mas a fazer o quê?"

Nada de útil, bom ou assim assim.

E é por isso que eu digo, que aquele período (cerca de 4 anos), podia simplesmente não ter existido.

É certo que aprendi para o futuro: jamais permitir aquilo novamente.

No entanto, é daquelas aprendizagens que eu preferia não ter aprendido. Simplesmente, não tinha permitido e ponto final.

Enfim, coisas que já la vão. [Mas que ficam]

 

15
Dez17

Carta ao Pai Natal

Ana

Caro Pai Natal,

Serve a presente carta para fazer uma exposição contra algumas coisas que me estão a enervar um bocadinho.

 

Em primeiro lugar.

Arranje um telefone. E ande sempre com ele. O argumento que ao longo de quase 5 anos tenho vindo a utilizar com a minha filha “olha que eu ligo já ao Pai Natal…” já não está a surtir efeito pois ouço constantemente a resposta “o Pai Natal não tem telefone”. Por isso, é conveniente que passa a andar SEMPRE com um telemóvel consigo e que o mesmo seja VISÍVEL.

 

Segundo.

Quem é que o mandou confirmar diretamente com a miúda que ela vai receber um determinado presente??? Ela pediu-lhe UM. E o Sr. Pai Natal, disse que sim, sim senhora que já estava feito. E agora, como é que a pessoa descalça essa bota? [Por acaso, já descalcei, mas com muito esforço e pesquisa e imaginação. Quem tem que ter isso tudo é o Sr. Pai Natal, não eu]

 

Terceiro.

Faça qualquer coisa contra a publicidade de brinquedos no Natal. Peço-lhe por favor. Peço-lhe não. Exigo. A cada segundo, surge na cabeça da minha miúda um novo pedido. E depois eu vejo. E acho tudo tão giro, que por minha vontade vai tudo. A minha carteira é que não concorda nada.

 

Posto isto, a única forma de resolvermos estes litígios e eu não fazer queixa formal contra si é compensar-me. Sim, sim. Compensar-ME. E como? Segue abaixo uma lista de coisinhas que eu gostaria de receber ou que simplesmente acontecessem na minha vidinha. OK?

  • Roupa, Calçado e Acessórios. Eu sei que o Pai Natal conhece os meus gostos, por isso veja lá o que encontra por aí prontinho para me entregar.
  • Diminua a intensidade e ocorrência das birras da minha cria.
  • Faça o meu marido entender que eu não sou chatinha, eu faço é questão que tudo decorra conforme o planeado.
  • Elimine as pessoas chatas que andam à minha beira.
  • Dê-me discernimento para rir das coisinhas que me vão aparecendo e força muita força para lidar com outras tantas.
  • Mantenha aqueles de quem gosto felizes.
  • Aproxime-me mais e cada vez mais, de quem me traz conforto e me faz sentir EU.
  • Relembra-me TODOS OS DIAS, aquilo que é importante e abana-me quando estou a dar importância a coisas sem importância.

Acima de tudo, ajuda-me a manter a magia destes dias no brilho dos olhos da minha filha. Não me deixes perder a paciência e ir na onda daquilo que não me está a agradar. Tenho a certeza que isso fará de mim uma melhor pessoa [E só por isso, só por isso, não levarei as minhas queixas ao mais alto nível.]

 

Saudações natalícias,

Ana

 

10
Dez17

Adoro isto.

Ana

Adoro isto.

Escrever.

Escrever no blog.

Gosto desta forma de me exprimir.

Gosto de pensar numa ideia. E escrever sobre ela.

Escrever, para mim, sempre foi uma forma de pensar.

Coisas parvas que às vezes me vêem à cabeça.

Lembranças que recordo, e que fico com vontade de as reviver pela escrita.

Episódios que vou vivendo.

Palavras que nunca chego a dizer.

Por aqui, vou escrevendo a minha história.

Adoro isto.

Sobre mim

foto do autor

Nº de Visitas

contador de visitantes

Também estou aqui

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D