Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



35 semanas

por Ana, em 05.06.19

Apesar da minha ausência, está tudo bem.

Ainda cá está dentro e estou convencida de que cá se aguentará até ao fim do tempo.

As contracções aumentaram. Mas entretanto diminuíram.

Repouso. Quieta e sossegada. Um pouco farta do meu cenário, mas é assim, nada posso fazer.

Ela está a desenvolver-se muito bem.

Continua super mexida, ao ponto de "aleijar" a mãe.

Dormir não é fácil. Alguma dificuldade em respirar. Muita azia.

A barriga está enorme. Já parece barriga de fim de tempo, há algumas semanas.

 

Mas o peso está controlado. 10 kg. E vários elogios do médico ao meu bom comportamento

É difícil prevaricar: ou fico mal disposta, ou acontecem-me coisas como a que se segue.

Na 2 feira fui a consulta. Saí de lá cheia de fome.

Pensei: "um salgadinho, um folhado, é mesmo o que me apetece"

Quem estava lá a almoçar?

O meu medico.

Pedi um pão de centeio. 😢

 

Já temos tudo pronto e estamos tranquilos.

É aguardar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

31 semanas

por Ana, em 08.05.19

E as 31semanas fiquei de baixa.

Contrações. Má disposição. Cansado extremo.

A miúda, fora a pressa que lhe deu de repente, está ótima.

Continua super mexida.

Agora que estou mais quieta ainda  se mexe mais.

Agora é aproveitar  para descansar e ir aos poucos tratando das coisinhas dela.

A máxima agora é repouso. E assim será.

Vou tentar estar mais assídua aqui pelo blog.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

30 semanas...

por Ana, em 30.04.19

... já cá cantam.

Já não falta tudo.

Mexe-se imenso esta miúda. Principalmente quando o pai e a irmã estão a dançar. Parece que quer sair cá para fora para ir ter com eles.

O médico "ralhou" comigo na última consulta, por causa do peso. Por isso, tenho andado bem mais "ajuizada". 

Mas a bebé está ótima.

Já começamos a organizar o quarto. Elas vão partilhar o quarto, pelo que tivemos que fazer algumas mudanças.

Já comecei a ver quais as roupinhas que é possível aproveitar da mais velha.

Mas só isto.

No fundo, no fundo, ainda não há nada organizado.

Temos tempo.

Continuo a trabalhar.

Sinto-me bem.

Só mais pesada, e com um humor um pouco instável.

A azia, tenho conseguido controlar, mas continua por cá.

Durmo mal, porque ela mexe-se imenso quando estou deitada.

A excitação da M. é de tal ordem, que quando entra numa loja, já só quer ver coisas para a mana.

Por enquanto, ela acha que vai ter uma boneca, é o que é. 

Sofro imenso de obstipação. Mas isto escrevo em letras mais pequeninas para não "melindrar" ninguém. Tem sido um verdadeiro horror.

 

A M. também está fantástica. Apesar de ter entrado na primária ainda com os 5 anos, e o primeiro período ter sido complicado, conseguiu dar a volta no 2º período e agora está ao nível dos colegas. "Muito faladora", foi o que a professora me disse na reunião. Pois, também não seria de esperar outra coisa. Esta miúda começou a falar primeiro do que começou a andar.

A vida tem decorrido assim, devagarinho. Ao nosso ritmo.

Sem grandes novidades para contar, razão pela qual, mal tenho escrito.

Mas estou por cá. 

Sinto falta de correr. E daquilo que sinto quando estou a correr e depois de correr. Faz-me imensa falta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

25 semanas...

por Ana, em 28.03.19

... e uma barriga gigante.

Ontem, alguém me dizia: "então, já está quase..."

Eu: "Não. Parece não é? Mas não. Ainda falta uns três meses."

A senhora ficou de boca aberta. "Ah, pensava que estava de mais tempo. Vai ter aí uma matulona".

É assim.

Sou baixinha, mas faço barrigas enormes. Já da primeira foi igual.

Também já me dizem: "então, isso já pesa não?..."

Pesa sim, senhores.

Mas ainda me vou mexendo bem.

Baixar está dificil. Subir escadas, igualmente.

O resto vai se fazendo com calma e tranquilidade.

Nos ultimos dias tenho conseguido dormir um bocadinho melhor, apesar de continuar a acordar várias vezes.

O pior é o calor a chegar... 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estado de graça

por Ana, em 26.03.19

unnamed.jpg

É isso...

É que não havia necessidade nenhuma...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Incapacidade mental

por Ana, em 15.03.19

Um dia destes vou para casa de baixa por incapacidade mental...

Ontem de manhã.

Peguei nas chaves do carro. Pus no bolso do casaco.

Peguei no telemóbel. Pus no bolso.

Agarrei na lancheira e vim a minha vida.

Só na chegada ao trabalho, recuperei: a mala?

Ficou em casa.

Ontem, também.

A seguir ao almoço tive que sair para uma reunião.

Saí do trabalho com o plano do caminho no cabeça.

Quando "acordei"?

Estava a fazer o caminho para casa.

Grande volta fui eu dar.

Enfim.

Faz parte deste estado, certo?

Mas chateia um bocadinho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

It's a Girl

por Ana, em 08.03.19

transferir (1).png

E no dia da mulher, trago-vos esta notícia.

Estamos bem, e está tudo a decorrer da melhor forma.

A miúda está tão contente, tão contente, que até chorou de emoção no dia em que lhe disse que era uma mana.

Todos os dias fala para a barriga e dá beijinhos.

Eu estou finalmente a sentir-me bem. Mais habituada ao "novo corpo" que se vai desenvolvendo.

A barriga está grande, mas julgo que da primeira vez, estava maior. Tenho tido cuidado com a alimentação, coisa que da outra vez descurei por completo.

E é isto. Para já, não há muito mais a dizer. 

[Não tenho escrito muito, porque a minha cabeça tem andado ocupada com mil e uma coisas.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

O sono que eu tenho...

por Ana, em 13.02.19

Chego a casa, tento despachar tudo para ter a miúda na cama as 21h00 e cozinha arrumada.

Sento-me no sofá as 21h10.

"Boa, um tempinho para tv".

As 21h30 acordo e chego à conclusão que é melhor ir para a cama.

Autoria e outros dados (tags, etc)

1º Trimestre: como foi

por Ana, em 06.02.19

Não foi fácil.

Muito enjoada. Muito ansiosa.

Abaixo seguem alguns textos que fui escrevendo, mas não publiquei.

 

Estou grávida.

De 6 semanas.

Sinto um misto de sentimentos, difíceis de explicar.

Estou grávida, porque quis ficar grávida.

Mas não pensei que fosse tão rápido.

Na primeira gravidez demorei vários meses a engravidar.

A meio de setembro decidimos: Já não vamos para novos, não podemos continuar a adiar isto, vamos a isso. Assim como assim, isto vai demorar, e depois se demorar muito tempo desistimos e tiramos esta ideia da cabeça e pronto.

Pois.

No início de novembro, fiz o teste e deu positivo.

Se da primeira gravidez, eu stressada do costume, entrei de imediato em modo relax, desta vez tal não aconteceu.

Talvez seja porque desta vez, já sei ao que vou.

Algum mau estar: enjoos, dores na barriga. Idas ao WC quase de 30 em 30 minutos.

Já fui à primeira consulta.

Está tudo bem.

Disse a mim mesma "relaxa".

Mas não consigo.

Estou muito ansiosa com o que há-de vir.

 

Passo o dia enjoada.

Como e vomito.

Já nem consigo beber água, pois tenho um sabor mau na boca, sempre permanente.

Muitas tonturas.

Continuo aflita e ansiosa.

Um descontrolo hormonal, aliado aos stresses do dia a dia.

 

O primeiro trimestre está a chegar ao fim...

E não foi bonito.

Enjoei muito. Mas muito mesmo.

Criei uma espécie de “repulsa” ao toque e aos cheiros.

Ninguém me podia tocar.

Qualquer cheiro me enjoava.

E vomitei muito.

Não engordei nada durante o primeiro trimestre.

Parece que agora estou a começar a ficar melhor.

Os excessos do Natal e do Fim de Ano, ainda fizeram estragos, mas de um modo geral, sinto-me melhor.

Ainda me agonio de vez em quando, mas isto vai passar. Tenho fé.

A M. está radiante. Há muito tempo que ela pede um(a) mano(a) para brincar.

 

Agora estou ótima.

Feliz.

Sem enjoos.

Com uma barriga enorme.

E a desfrutar finalmente com este estado de graça.

 

[Tirando as dores nas costas e o facto de me levantar TODAS as noites para ir ao WC. Parecendo que não, é chato]

Autoria e outros dados (tags, etc)

A "grande" novidade

por Ana, em 04.02.19

Durante o ano de 2011 decidimos, eu e o meu marido, que estava na hora de sermos pais. Tive consulta. Fiz análises. E depois de verificar que estava tudo bem, começamos com as “tentativas”. Nunca mais bebi álcool, e passei a ter todos os cuidados com a alimentação, como se já tivesse grávida, visto que não era imune a toxoplasmose.

Seguiram-se meses de espera. A cada mês, uma “desilusão”, porque ainda não tinha sido. Lembro-me que “outras” iam ficando grávidas e eu só me sentia triste por não estar a conseguir.

Cerca de sete meses de tentativas, conversei com a minha médica sobre os meus receios, por estar a demorar tanto tempo. Disse-me que era normal, e que só podíamos avançar para consulta de infertilidade ao fim de um ano de espera.

No mês seguinte engravidei. Quando verifiquei que tinha três dias de atraso, fui comprar o teste. A técnica da farmácia aconselhou-me a fazê-lo apenas com a primeira urina da manhã. Esperei. No dia seguinte, acordei ainda de madrugada e fiz o teste. Positivo. Fiquei tão feliz, tão feliz, que passei a “estado de grávida” no imediato. Muito relax e sem stressar com nada. A M. nasceu no final de 2012, num dia de sol magnífico.

Em setembro de 2018, eu e o meu marido decidimos que estava na altura de começar a tentar o segundo. 38 anos, para o ano faço os 39. “Isto vai demorar, é melhor começarmos a tratar disto já, porque senão fica tarde. Depois se demorar muito, desistimos e pronto”. No dia 02 de novembro, percebi que estava com dois dias de atraso. Comprei o teste. Tinha a certeza que estava grávida. Aguardei pela madrugada do dia seguinte, como da primeira vez. E confirmou-se. Estava grávida, já de 1 mês.

Estou grávida de 18 semanas.

E é por isto que sei que o ano de 2019 será um ano bem diferente.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes

  • Ana

    Obrigado, Anita. Beijinhos

  • Ana

  • Ana

    Sim, felizmente. Obrigado, beijinhos.

  • Ana

    Obrigado,

  • Ana

    Obrigado,