Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêem a cabeça.

Cá coisas minhas

Este é o meu blog. Onde falo sobre múltiplas coisas. As coisas que me vêem a cabeça.

21
Mai18

The Disney Princess

Ana

A miúda já tinha encontrado as semelhanças: a carruagem, o vestido branco comprido.

[Sim, ela viu o casamento real e adorou. Super atenta aos pormenores.]

Depois a minha irmã enviou-me esta imagem.

IMG-20180520-WA0004.jpg

Mostrei-lhe.

E ela, de boca aberta: "é mesmo igual mãe".

E é.

"Eu não sabia que as carruagens existiam de verdade"

 

[A Cinderela é só o filme preferido dela, que ela já viu centenas de vezes]

11
Mai18

Ideias que mais vale não ter

Ana

Fui mais a minha miúda ao cabeleireiro.

Aquilo que podia ser um programa divertido de mãe e filha, quase se tornou num pesadelo.

 

Quis ser a primeira. Claro.

Toda satisfeita a lavar a cabeça como as senhoras crescidas. Toda ela se ria.

Cortou o cabelo.

A cabeleireira fez-lhe uma trança toda gira.

Linda.

 

Segue-se a mãe.

Começa a tortura.

"Quero sair daqui. Estou cheia de fome"

"Tens que esperar, agora é a mãe."

Inquieta.

A mexer em tudo.

A minha mala a arrastar-se pelo chão.

Dança.

Levanta-se.

Sai da porta.

Ainda só estava a lavar a cabeça e já estava a pensar "que m***** de ideia esta".

 

No final.

Penteado novo para mim. Uma espécie de franja/farripas.

"Não gosto"

"Tira"

"Corta a franja"

"Não quero ir contigo assim"

Birra.

Amuo.

"Não tens vergonha de sair á rua assim?"

Mais birra e mais amuo.

 

Tão bom, hã?

A pessoa sai do cabeleireiro a sentir-se a maior (só que não).

19
Abr18

Mãe de menina

Ana

Estou a entrar numa nova fase enquanto mãe de menina.

Quando estava grávida, e ainda não sabia o sexo do bebé, dizia para mim e mesma e a toda a gente que era um menino.

Porquê?

Porque eu queria tanto uma menina, que para não ficar chateada se assim não fosse, comecei logo a mentalizar-me que era um menino.

 

Só soube que era menina na ecografia do último trimestre.

Fiquei SUPER FELIZ.

[É óbvio que se fosse menino, teria ficado igualmente feliz]

Nem sei bem porquê.

Enfim, coisas que não dá para explicar.

Eu até nem sou muito de florzinhas e cor de rosa e coisinhas.

Mas a minha bebé andava sempre toda fofa.

Muitos vestidos.

E sempre "arrumadinha".

 

Mas a minha bebé cresceu.

Tem 5 anos.

E nos últimos tempos, começou a notar-se mesmo que é miúda.

A dar opinião sobre o que veste.

A dar ideias sobre conjuntos.

A adorar lojas que vendem coisas pindéricas.

E...

Penteados.

Ora, eu não tenho jeito para coisas que exigem pormenor.

Logo, eu não tenho jeito para penteados.

 

Ao início desta fase, comecei a ver a "minha vida a andar para trás" e a pensar "eu não vou aguentar isto".

Mas agora, entrei na onda.

E hoje percebi: até á bem pouco tempo, ela era a minha boneca que eu arranjava como queria. Agora ela é uma menina, com vontades e gostos próprios.

Querem saber a verdade? Esta menina miúda, cheia de vontades dá-me muitas dores de cabeça, mas agora que entrei na onda, até acaba por ter muita graça.

Desde que ela se levante cedo e haja tempo para os penteados, aqui a mãe mesmo sem jeitinho nenhum, vai tentando.

E como ela pede sempre foto para conseguir ver como está atrás, mostro-vos algumas.

IMG_20180409_073110.jpgIMG_20180417_072632.jpgIMG_20180418_073110.jpg

 

 

11
Abr18

Inícios de dia

Ana

Tenho (devo) de sair de casa as 07h30. Se não o fizer, apanho transito logo no começo do caminho.

Com uma miúda de 5 anos, que detesta acordar, não é fácil.

Vai-se gerindo.

 

Hoje, a seguir ao pequeno almoço, reparei que já não tinha cápsulas para a máquina do café.

"Que chatice", pensei.

Entramos no carro as 07h34.

Arrancámos.

As 07h36 estava a passar ao pé do café da aldeia.

Pensei, "Eh pá, vai estar trânsito. A viagem vai ser longa, sem café não vai dar".

Parei o carro.

Saí do carro.

Miúda sai do carro a reclamar [Tem um "excelente" humor matinal].

Lá fomos.

 

"Um café, se faz favor".

Um sorriso do outro lado. Uma alegria enorme por nos ver. A senhora é fantástica.

Mete conversa com a miúda.

Falamos do trânsito. Do tempo. De tudo e de nada.

E a senhora pergunta a miúda. "Oh M... tu queres uma fatia de pão de ló que eu fiz? Toma lá".

O humor matinal da miúda desapareceu.

Eu, compostinha com o meu café.

Lá fomos.

Arranquei as 07h44.

 

À saída da aldeia, vimos um arco-íris.

 

E eu pensei: pode vir o transito.

 

[E veio. E eu fiquei muito irritada também hoje. E discuti muito no carro sozinha. Mas... Podia ter sido pior, não é ]

05
Abr18

Em fotos

Ana

Durante as férias, tive mais pelo instagram.

Fica aqui um pequeno resumo em fotos.

IMG_20180322_143344.jpgIMG_20180323_084358.jpgIMG_20180325_135006.jpgIMG_20180328_093145.jpg

IMG_20180328_122241.jpgIMG_20180330_164934.jpgIMG_20180401_144657.jpgIMG_20180402_105603.jpg

Foi muito isto.

Corridas (não podiam faltar).

Passeios.

"Almocinhos de encomenda".

Casa de bonecas improvisada.

Trabalhos manuais.

Caça aos ovos.

Pequeno-almoço especial.

Idas ao parque.

Muitas séries.

Experiencias com receitas (é melhor nem falar nisso)

Comidinha saudável. MUITO chocolate.

Sol.

Foi bom, e quero mais.

02
Mar18

Ter uma miúda de 5 anos

Ana

Ter uma filha de 5 anos, é assim uma espécie de "prova de fogo" diária.

Eu sabia, sempre soube, mas andava em negação.

Esta miúda é "danadinha".

O dom da palavra, que rapidamente foi adquirindo, usa-o agora para me "azucrinar" a moleirinha.

Ainda no outro dia íamos no carro, e ela começa a falar do tema preferido dos miúdos desta idade: "puns".

Eu ignoro, e começo a falar de outra coisa.

Quanto acabo ela diz, "mas não era disso que estávamos a conversar, estávamos a falar de puns".

Eu digo: "eu não converso sobre puns, isso não é conversa".

E o que é que ela diz? "Mas AGORA estás a conversar sobre puns". E ri-se às gargalhadas.

[Percebem o que quero dizer?]

 

As manhãs....

As manhãs sempre foram complicadas.

Mas agora é toda uma loucura.

Não se quer levantar.

Levanta-se depois de já muita insistência minha.

Mas depois, quer fazer tudo sozinha.

Dá-me cabo dos nervos.

"M. vai lavar os dentes" Quando chego à casa de banho porque já está a demorar muito tempo reparo: ainda não os lavou e está a fazer macacadas em frente ao espelho.

Fico com vontade de rir, mas o stress de me despachar só me faz ralhar. Passo as manhãs a ralhar. 

"Eu penteio-me"

"Eu visto o casaco sozinha".

"Eu abotoo os botões"

"Eu é que sei, mãe"

"O quarto é meu, mãe"

A autonomia é óptima, fantástica e recomenda-se. Mas demora mais tempo. O meu lema é sempre o mesmo: tenho que sair de ao pé dela, porque senão faço eu, para me despachar, mas se saio de ao pé dela, ela dispersa a atenção em mil e uma coisas, e demora tempo (muito tempo...).

Estão a ver a minha vida, não é?

 

Outra coisa que os 5 anos trouxeram: mais drama.

É miúda e tudo tem uma conotação dramática. Sempre que se zanga com uma amiga (todos os dias), lá vem desabafar para o carro que a não sei quantas está sempre a estragar-lhe o dia.

 

Entretanto, aos 5 anos também se está a virar mais para o pai. Era sempre mãe, mãe, mãe. Valha-me isso.

 

É uma miúda deliciosa, com um sorriso contagiante. 

Conversadora nata.

Desafia-me, desafia-me, desafia-me.

E eu, que sempre gostei das coisas à minha maneira. Que procuro prever todos os cenários para que as coisas corram da maneira que decido, fico tantas vezes sem fôlego que às vezes só me dá vontade de sentar e cruzar os braços.

 

[Já me mudaste tanto miúda] 

 

23
Fev18

Um dia...

Ana

"Um dia, os teus filhos vão te pedir para ver as fotos, e tu não vais ter"

Foi uma das frases que ouvi, depois de ter comunicado aos outros o meu casamento.

Como já contei aqui, eu e o meu marido casámos os dois um sem dizer nada a ninguém, e sem qualquer convidado/testemunha.

Não tirámos fotos.

Nada.

Uma pessoa com quem eu trabalhava na altura, disse-me a frase lá de cima várias vezes. E eu, "quero lá saber".

Pois esse dia chegou.

Ela pede fotos e acha estranho não haver.

Quando lhe contámos a forma como casámos, achou mal.

Diz que "é um problema tu não teres usado um vestido de noiva".

E quer que nos casemos outra vez, com toda a pompa e circunstância.

Não se cala com isto.

Volta e meio, vem o assunto à baila.

Ela já tem os pormenores todos da cerimónia na cabeça dela.

09
Fev18

Coisas que os miúdos dizem: análise de caso prático

Ana

Situação:

 

Saí mais cedo para poder estar presente numa atividade que ia decorrer na escola da miúda. O pai não conseguia. Para mim também era difícil, mas como me fez confusão a ideia de ela não ter lá nenhum de nós, lá me consegui organizar para ir.

Pois que na volta para casa, a miúda diz: "Os pais têm muito trabalho, e as mães não. Foi por isso que o pai não foi e tu foste"

 

Perante isto eu:

A) Fiquei toda inchada e pensei menina bonita, sabe que a mamã está a fazer o papel dela e o papá o papel dele. Pois toda a gente sabe que os homens é que têm que trabalhar a séria.

B) Passei-me da marmita e comecei a disparatar com a miúda, que ela era uma ingrata e que eu também farto-me de trabalhar.

C) Chorei silenciosamente, para não ferir a miúda mas fiquei muito triste com o comentário.

D) Dei-lhe ali de imediato uma lição sobre igualdade de género. Era o que mais faltava.

E) Expliquei que o trabalho que eu deveria ter ficado a fazer mas não fiz para poder ficar com ela, teria que fazer à noite depois de ela se deitar. 

 

Digam-me lá:

1) Qual a resposta que dariam?

2) Qual a resposta que acham que eu dei?

Sobre mim

foto do autor

Nº de Visitas

contador de visitantes

Também estou aqui

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D